A Batalha do Apocalipse

Para a resenha de hoje vamos entrar em clima de Copa do Mundo e falar de um livro de autor nacional. Quem já ouviu falar de @JovemNerd já imagina que falarei sobre A Batalha do Apocalipse do Eduardo Sphor. A primeira coisa que você precisa saber sobre esse livro é que ele tem alta dose de elementos religiosos na história. Portanto, se você não tenho interesse nenhum ou abomina esse assunto, você certamente não se envolverá pelo apelo da história.

A Batalha do Apocalipse - Capa

A Batalha do Apocalipse – Capa

Para ser sincero, Sphor não fala de uma religião específica ou a toma como base. O enredo do livro é baseado em diversas religões que com várias coisas combinadas criam todo o ambiente e contexto da história. A sinopse do livro cita:

“Há muitos e muitos anos, há tantos anos quanto o número de estrelas no céu, o Paraíso Celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio, e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o dia do Juízo Final.”

Essa para mim foi a grande sacada do livro: A história não vai te contar como Lucifer se levantou contra Deus, mas sim a batalha que aconteceu quando o Dia do Juízo Final realmente chegou.

Outro ponto interessante do livro é a construção dos personagens, suas histórias e como as decisões que eles tomaram os levaram a estar onde estão. Se você um dia já se perguntou como as decisões que tomamos vão influenciar o que irá acontecer conosco no dia Juiízo Final você irá adorar a maneira como os personagens são construídos. Em vez de simplesmente colocar um personagem na história e descrevê-lo, Eduardo Sphor soube como poucos criar todo um contexto não apenas da história do livro como um todo, mas também de cada personagem em especifico.

Ablon, por exemplo, um anjo caído da casta dos querubins (os anjos guerreiros) é totalmente fiel aos seus ideais e crenças, mas ao mesmo tempo disposto a aprender e lidar com suas responsabilidade, aceitando o peso dos seus atos. Ao ler o livro você vai não ser apenas apresentado a Ablon, mas entender como e o que o levou a estar onde ele se encontra e muitas vezes se pegar questionando se ele realmente merece estar ali ou se tudo que ele acredita faz sentido.

Mas voltando um pouco mais ao enredo do livro, nos acompanhamos Ablon e sua relação com Shamira, sua poderosa amiga feiticeira. No meio dessa Batalha, onde os anjos estão tentando exterminar os humanos, Ablon acredita que Yahweh, Deus, o Criador que está adormecido irá se levantar e julgar a todos os envolvidos nessa grande Batalha.

Faço outra ressalva aqui, o papel do Criador, Deus ou como quer que você queira chamá-lo, acaba sendo bem secundário no livro. Se você tem problemas com Deus não sendo o Ser Supremo de todas as coisas que rege todo o Universo e age em todos os momentos, controlando a situação, este livro não é para você.

Na verdade eu senti que havia uma pequena crítica na história do livro. Ablon e Deus na história ocupam uma posição de irrelevância ou apatia. Ablon só se envolve na Batalha a partir do momento que Shamira é sequestrada, por exemplo, levando-o a se envolver na luta e tentar impedir o Apocalipse.

Como eu disse antes, apesar do foco ser na Batalha do Apocalipse em si, existem diversos flashbacks no meio da história para que o leitor entenda o que levou cada personagem a ocupar o lugar que ocupa hoje na história, um ponto forte é que isso te permite lidar melhor com todo o enredo, mas se você não prestar atenção irá se perder no meio de todos esses flashbacks que surgem de repente, sem o menor aviso. Portanto, não cochile!

Tenho um pouco de preconceito com autores brasileiros, mas realmente Eduardo Sphor com esse livro me fez ter um pouco mais de fé nos produtos nacionais. Espero que vocês também gostem! Com certeza, mesmo com os elementos religiosos, é um livro que todo Nerd deveria ler.


 

Título: A Batalha do Apocalipse, Da Queda dos Anjos ao Crepúsculo do Mundo
Autores: Eduardo Sphor
Editora: Verus
Número de páginas: 647

 

Deixe uma resposta